Publicidade


Remo vence a Copa Norte Sub-20 (Foto: Reprodução/TV Liberal)Anfitrião, Remo tenta defender o título conquistado na edição anterior (Foto: Reprodução/TV Liberal)

Em sua segunda edição, a competição conta com 8 clubes representando 7 estados
e garante aos times de base a oportunidade de brigar por uma vaga na Copa do Brasil

Principal competição das categorias de base da região, a Copa Norte sub-20 teve a tabela da sua segunda edição divulgada pela Federação Paraense de Futebol (FPF). A realização da competição neste ano será em solo paraense e contará com representantes do Acre, Amapá, Amazonas, Pará e Roraima além dos dois representantes do Nordeste, Maranhão e Piauí. No total, a copa terá oito times disputando o título, que garante vaga na Copa do Brasil sub-20.

Os clubes serão divididos em dois grupos. No Grupo A, o atual campeão da copa, Remo, tentará passar de fase e defender seu título. Mas para isso tem que encarar um desafio diante dos fortes adversários do Tarumã (AM), Trem (AP) e São Raimundo (RR). No Grupo B, o Paysandu vem representando os anfitriões do torneio e encara o Americano (MA), Comercial (PI) e São Francisco (AC).

A realização de todos os jogos do Grupo A será no Estádio Evandro Almeida, o Baenão, enquanto o Grupo B realizará suas partidas no Francisco Vasquez, o Souza. Os jogos começam neste sábado, com rodada dupla. Trem e Tarumã duelam às 14h e logo em seguida, às 16h, Remo e São Raimundo se enfrentam. No domingo é a vez de São Francisco e Americano fazerem o duelo das 14h e logo depois Comercial e Paysandu entram em campo.

O vencedor da competição garante a vaga na Copa do Brasil da categoria e já tem data para estrear. O primeiro adversário será o Goiás, no dia 10 de outubro, pela rodada de abertura.

Fonte: GloboEsporte.com
Fabiano remo (Foto: Marcelo Seabra/O Liberal)Fabiano pode voltar ao time titular do Leão contra o Guarany, seu ex-clube (Foto: Marcelo Seabra/O Liberal)

Técnico Roberto Fernandes testa formação diferente para a partida do próximo domingo, em Sobral, no interior do Ceará. No gol também pode ter mudança

Na manhã desta quarta-feira, dia 20, o técnico Roberto Fernandes realizou um treino coletivo longe do Baenão.  O treinador comandou a atividade em um campo particular em Benfica, distrito do município de Benevides, na Região Metropolitana de Belém.

Para o próximo confronto diante do Guarany de Sobral, no domingo, o técnico azulino começa a dar uma cara nova ao time titular. Da equipe principal que vinha atuando foram duas mudanças: na lateral-esquerda, Rodrigo Fernandes ganhou a vaga de Alex Ruan. Ilaílson apareceu no time de cima, ao lado de Dadá na cabeça de área, já Michel foi adiantado mais para frente, ao lado de Reis.

A equipe principal treinou com: Maycki Douglas; Levy, Raphael Andrade, Max e Rodrigo Fernandes; Ilaílson, Dadá, Michel Schmöller e Reis; Thiago Potiguar e Leandro Cearense. No decorrer do treinamento, Fernandes trocou Maycki por Fabiano; Marcinho no lugar de Reis; e, no ataque, Cearense deu espaço para Rafael Paty. Os titulares venceram por 2 a 0, com gols de Reis e Leandro Cearense.

Durante a tarde desta quarta-feira o plantel azul marinho ganha folga. Os azulinos só voltam a se movimentar na manhã desta quinta-feira, dia 21. A partida contra o Guarany de Sobral será no domingo, dia 24, no Estádio do Junto, a partir das 17h

Danilo Rios no Remo (Foto: Akira Onuma/O Liberal)Danilo Rios atuou apenas na primeira rodada da Série D (Foto: Akira Onuma/O Liberal)

Danilo Rios embarcou a Brasília nesta terça e só deve retornar na sexta-feira

O meio campista Danilo Rios está praticamente fora da partida contra o Guarany-CE, no domingo. O problema do jogador não é mais físico, mas sim psicológico. O armador azulino viajou a Brasília nesta terça-feira para encontrar sua esposa, que estava grávida e acabou perdendo o bebê. O jogador deverá retornar até Belém apenas na madrugada de sexta-feira.

Ainda se recuperando de uma tendinite no músculo adutor da perna esquerda, Danilo Rios havia voltado aos treinos justamente nesta terça. Com a viagem e consequentemente a falta aos treinos do resto da semana, a participação do meia na partida contra o Guarany de Sobral está praticamente descartada.

Baenão


Punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Remo está realizando as suas partidas como mandante na Série D do Campeonato Brasileiro no estádio Diogão, em Bragança, mas a diretoria do clube busca outras opções de locais, após os jogadores reclamarem da qualidade do gramado da praça esportiva. Paralelo a isso, o Leão tenta na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que os 2 jogos restantes, contra Interporto (TO) e River (PI), aconteçam em Belém.

De acordo com André Cavalcante, responsável pelo Departamento Jurídico do Remo, o objetivo é que o clube cumpra o restante da pena apenas no ano que vem.

“Quando o STJD pune um clube com a perda de mando de campo, quem diz como ela será aplicada é a CBF. Como todos sabem, o Remo passa por sérios problemas financeiros, com dificuldades para honrar compromissos e é isso que estamos tentando mostrar. Assim, esses dois jogos restantes longe de Belém nós cumpriríamos somente em 2015. Entramos em contato com a FPF ontem (segunda-feira, 18/08), para que ela possa intermediar essa reunião com a CBF. Estamos aguardando um posicionamento da Federação”, explicou André Cavalcante.

O Remo foi punido pelo STJD em duas ocasiões distintas em 2012: contra o Náutico (RR) e diante no Mixto (MT), na eliminação da Série D, em partidas no Baenão e Mangueirão, respectivamente. Em um dos processos, o clube sofreu pena de 4 jogos, recorreu e conseguiu reduzir para 2. No outro, com punição de 2, o clube também recorreu, mas não conseguiu baixar.

Fonte: Globo Esporte.com

Danilo Rios no Remo (Foto: Akira Onuma/O Liberal)Danilo Rios está fora do jogo em Bragança (Foto: Akira Onuma/O Liberal)

Camisa 10 do Leão está confirmado fora da partida deste domingo após realizar ressonância magnética no local da lesão. Recuperação pode levar até duas semanas


O meio-campo Danilo Rios está fora da partida desde domingo, diante do Guarany de Sobral pela Série D do Brasileiro. De acordo com o médico do Remo, Ricardo Ribeiro, o atleta realizou uma ressonância magnética em que foi diagnosticada uma tendinite no adutor.

– O Danilo está com tendinite no adutor da perna esquerda. A recuperação é de uma a duas semanas. Ele já está realizando sessões de fisioterapia– explicou Ricardo Ribeiro.

Até o momento, Rios só jogou uma partida oficial pelo Remo, na estreia dos azulinos diante do Moto Club. Já no último domingo, atuou no amistoso contra a seleção da Etiópia. Está é a segunda lesão que faz o meia armador ficar de fora de uma partida

 Fonte: GloboEsporte.com

Rubilar

O Remo completa 103 anos de reorganização nesta sexta-feira, 15/08. A data é tão importante quanto o dia 05/02, que marca a sua fundação. Se hoje o Leão é um dos clubes mais tradicionais do país, isso se deu pela união de 11 admiradores azulinos que lutaram contra o desaparecimento da agremiação.

Fundado em 1905, o então Grupo do Remo passou por uma crise 3 anos depois, levando o desembargador Alfredo Barradas a decretar a extinção do clube.

A partir daí, uma aliança formada por Oscar Saltão, Antonico Silva, Geraldo Mota (Rubilar), Jaime Lima, Cândido Jucá, Harley Collet, Nertan Collet, Severino Poggy, Mário Araújo, Palmério Pinto e Elzeman Magalhães passou a se reunir para tratar da reestruturação remista, que só foi acontecer no dia 15/08/1911.

Em 16/11 daquele ano, o Remo conquistou o título de campeão paraense náutico. Já no dia 29/12, Oscar Saltão propôs a readaptação do nome para Club do Remo, mudança que só foi aprovada em Assembleia Geral em 07/08/1914.

Fonte: Globo Esporte.com, 15/08/2014
Remo 0x2 PSC

De maneira dramática, como ninguém esperava, o Remo fez prevalecer o placar elástico que construiu no primeiro jogo da final do Campeonato Paraense (vitória por 4 a 1) e após uma partida épica contra o Paysandu, disputada na tarde de ontem, no Mangueirão, acabou levando o título para o Baenão, quebrando um jejum de 5 anos.

A 43ª taça estadual foi levantada e festejada com visível sentimento de alívio, já que o Leão Azul perdeu por 2 a 0 e na maior parte do jogo foi sufocado pelo time bicolor. Dennis, em uma cobrança de falta magistral logo aos 8 minutos, e Yago Pikachu, aproveitando rebote de uma bela jogada de Héverton, aos 25′, marcaram os gols bicolores ainda no primeiro tempo.


O placar do jogo, desta vez favorável ao Paysandu, por pouco não devolveu a vantagem construída pelos remistas no jogo de ida. Se tivesse anotado ao menos mais um gol, a decisão iria para os pênaltis, enquando mais dois levariam a Taça Açaí para a Curuzu no tempo normal.

O time treinado por Mazola Júnior, que jogou com Vânderson e Ricardo Capanema improvisados na zaga, teve várias oportunidades para fazer o tento que faltou na conta, ainda na etapa inicial. A mais clara delas com Héverton, que dominou a bola na área remista, se livrou da marcação cortando para o pé direito e por muito pouco não acertou o ângulo esquerdo de Maycki Douglas.

Mesmo perdido em campo e abalado pelo começo avassalador do rival, o Remo teve a chance de empatar quando o jogo ainda estava 1 a 0, mas a falta de experiência de Rony acabou fazendo a diferença. A jovem promessa azulina aproveitou indecisão da zaga bicolor e ficou cara a cara com o goleiro Paulo Rafael, que mesmo caído conseguiu fazer a defesa com a perna direita.

Como o jogo seguiu dominado pelo Paysandu, que a essa altura já não contava com o artilheiro Lima, que saiu machucado para a entrada de Marcos Paraná, o técnico do Remo, Roberto Fernandes precisou fazer duas mudanças no intervalo para tentar equilibrar o jogo no meio de campo. Ele optou por tirar o garoto Warian Santos, que dessa vez não demonstrou a mesma maturidade da goleada por 4 a 1 na quarta-feira passada, e o meia-atacante Thiago Potiguar, que nem deveria ter entrado em campo, tamanha a indolência e apatia com a qual disputava a maioria das jogadas.

Com as entradas de Jhonnatan e Ratinho, o time azulino conseguiu administrar melhor a posse de bola e evitar que o Paysandu seguisse pressionando a todo instante em busca do terceiro gol. Além disso, o Leão passou a aproveitar melhor os contra-ataques e quase descontou em uma cabeçada de Rony, que Paulo Rafael salvou com a ajuda da trave. Mesmo assim, o Paysandu continuava melhor em campo, tocando a bola com consciência e tentando chegar à meta azulina principalmente pelas laterais.

Foi então que o ritmo intenso da decisão sofreu uma quebra brusca. Um apagão no sistema de iluminação do estádio provocou uma interrupção de mais de 15 minutos na partida, esfriando os ânimos e os jogadores das duas equipes. No reinício de jogo, o Paysandu partiu definitivamente para o ataque com a entrada de Leandro Carvalho no posto do lateral-esquerdo Airton.

O Remo, ao menos dessa vez, conseguiu colocar a cabeça no lugar e manter a bola no seu campo de ataque nos minutos finais, evitando que a pressão alviceleste criasse complicações para sua instável zaga.
Nos acréscimos, houve ainda a expulsão do lateral-esquerdo azulino Alex Ruan, que tentou impedir a cobrança de uma falta na defesa bicolor e recebeu o segundo cartão amarelo. A indisciplina do prata da casa, ao menos dessa vez, favoreceu o Remo. O time ganhou alguns segundos preciosos antes do apito final do paranaense Heber Roberto Lopes, quando enfim o Fenômeno Azul pôde soltar o grito de “campeão!”.

Publicidade!

Descubra Agora