Publicidade

Remo 0x2 PSC

De maneira dramática, como ninguém esperava, o Remo fez prevalecer o placar elástico que construiu no primeiro jogo da final do Campeonato Paraense (vitória por 4 a 1) e após uma partida épica contra o Paysandu, disputada na tarde de ontem, no Mangueirão, acabou levando o título para o Baenão, quebrando um jejum de 5 anos.

A 43ª taça estadual foi levantada e festejada com visível sentimento de alívio, já que o Leão Azul perdeu por 2 a 0 e na maior parte do jogo foi sufocado pelo time bicolor. Dennis, em uma cobrança de falta magistral logo aos 8 minutos, e Yago Pikachu, aproveitando rebote de uma bela jogada de Héverton, aos 25′, marcaram os gols bicolores ainda no primeiro tempo.


O placar do jogo, desta vez favorável ao Paysandu, por pouco não devolveu a vantagem construída pelos remistas no jogo de ida. Se tivesse anotado ao menos mais um gol, a decisão iria para os pênaltis, enquando mais dois levariam a Taça Açaí para a Curuzu no tempo normal.

O time treinado por Mazola Júnior, que jogou com Vânderson e Ricardo Capanema improvisados na zaga, teve várias oportunidades para fazer o tento que faltou na conta, ainda na etapa inicial. A mais clara delas com Héverton, que dominou a bola na área remista, se livrou da marcação cortando para o pé direito e por muito pouco não acertou o ângulo esquerdo de Maycki Douglas.

Mesmo perdido em campo e abalado pelo começo avassalador do rival, o Remo teve a chance de empatar quando o jogo ainda estava 1 a 0, mas a falta de experiência de Rony acabou fazendo a diferença. A jovem promessa azulina aproveitou indecisão da zaga bicolor e ficou cara a cara com o goleiro Paulo Rafael, que mesmo caído conseguiu fazer a defesa com a perna direita.

Como o jogo seguiu dominado pelo Paysandu, que a essa altura já não contava com o artilheiro Lima, que saiu machucado para a entrada de Marcos Paraná, o técnico do Remo, Roberto Fernandes precisou fazer duas mudanças no intervalo para tentar equilibrar o jogo no meio de campo. Ele optou por tirar o garoto Warian Santos, que dessa vez não demonstrou a mesma maturidade da goleada por 4 a 1 na quarta-feira passada, e o meia-atacante Thiago Potiguar, que nem deveria ter entrado em campo, tamanha a indolência e apatia com a qual disputava a maioria das jogadas.

Com as entradas de Jhonnatan e Ratinho, o time azulino conseguiu administrar melhor a posse de bola e evitar que o Paysandu seguisse pressionando a todo instante em busca do terceiro gol. Além disso, o Leão passou a aproveitar melhor os contra-ataques e quase descontou em uma cabeçada de Rony, que Paulo Rafael salvou com a ajuda da trave. Mesmo assim, o Paysandu continuava melhor em campo, tocando a bola com consciência e tentando chegar à meta azulina principalmente pelas laterais.

Foi então que o ritmo intenso da decisão sofreu uma quebra brusca. Um apagão no sistema de iluminação do estádio provocou uma interrupção de mais de 15 minutos na partida, esfriando os ânimos e os jogadores das duas equipes. No reinício de jogo, o Paysandu partiu definitivamente para o ataque com a entrada de Leandro Carvalho no posto do lateral-esquerdo Airton.

O Remo, ao menos dessa vez, conseguiu colocar a cabeça no lugar e manter a bola no seu campo de ataque nos minutos finais, evitando que a pressão alviceleste criasse complicações para sua instável zaga.
Nos acréscimos, houve ainda a expulsão do lateral-esquerdo azulino Alex Ruan, que tentou impedir a cobrança de uma falta na defesa bicolor e recebeu o segundo cartão amarelo. A indisciplina do prata da casa, ao menos dessa vez, favoreceu o Remo. O time ganhou alguns segundos preciosos antes do apito final do paranaense Heber Roberto Lopes, quando enfim o Fenômeno Azul pôde soltar o grito de “campeão!”.
Roberto Fernandes foi apresentado oficialmente como técnico do Remo (Foto: Gustavo Pêna)Roberto Fernandes não confirma o time do Remo (Foto: Gustavo Pêna)

Outra preocupação está na viagem até Tucuruí. Ponte de acesso está interditada e percurso não tem hora para ser concluído: "Estamos preparados", diz Leandrão

 O time titular que vai enfrentar o Independente no próximo domingo, dia 20, está definido. Quem garante é o comandante azulino Roberto Fernandes. O “problema” é que ele prefere manter o mistério, já que andou fazendo testes e adaptações na equipe desde a última quarta-feira, quando realizou o primeiro dos dois coletivos no Estádio do Baenão.

– A equipe está definida, mas eu vou pedir a licença dos senhores (jornalistas) para não antecipar a tanto tempo do jogo. Tem muita coisa que pode acontecer neste intervalo de tempo, então, preferimos manter a cautela e divulgar somente mais próximo do confronto em Tucuruí – explicou Roberto Fernandes após o treino desta sexta-feira santa.
Outra preocupação da comissão técnica e dos jogadores é a viagem até o interior paraense. Os 460 quilômetros que ligam de Belém a Tucuruí costumam ser percorridos em cerca de oito horas. Porém, como uma das pontes de acesso está interditada, a sobre o Rio Moju, este mesmo percurso não tem hora para ser encerrado. 
– Estamos preparados para tudo. Por isso adiantamos a viagem e estamos indo mais cedo ainda. Assim dará tempo de treinar em Tucuruí e conhecer as dimensões do gramado, que parece ser muito grande. Além disso, também vamos ver se está em boas condições. De qualquer forma, estamos tranquilos e confiantes em um bom jogo – adiantou o atacante Leandrão.

Ingressos estarão disponíveis no Ginásio Amadeu Teixeira a partir do próximo dia 6 de março

A Arena da Amazônia Vivaldo Lima nem foi inaugurada ainda, mas muita gente já quer garantir sua vaga no jogo de estreia. Todos estão ansiosos e com dúvidas com relação aos ingressos do jogo de retorno do Nacional Futebol Clube contra Clube do Remo, datado para acontecer no dia 9 de março, na Arena da Amazônia, em Manaus. Uma coisa é certa: serão 20 mil ingressos para essa primeira partida.

A distribuição desses ingressos foi fechada pelo Governador Omar Aziz em reunião com os dirigentes do Nacional. Já existem quantidades fixas para a venda. O martelo foi batido nessa manhã para os bilhetes do clássico. 13 mil ingressos estarão à venda para torcedores dos times e 7 mil serão voltados aos operários da Andrade Gutierrez, que construíram o estádio.
Dos 13 mil ingressos à venda, 2 mil serão para idosos e estudantes ao preço unitário de R$ 25,00, outros 2 mil desse montante serão de área VIP e vendidos ao valor de R$ 100,00. O restante desse total, 9 mil, será vendido por R$ 50,00 a unidade. Para todas as vendas só é permitido comprar dois ingressos por pessoa.

O valor dos bilhetes será de R$ 100,00 na área VIP e R$ 50,00 nos demais assentos. Esses bilhetes estarão disponíveis para compra a partir do dia 6 de março, no Ginásio Amadeu Teixeira, que fica ao lado do estádio.

No dia do jogo não haverá venda de ingressos. As pessoas que não conseguirem garantir sua entrada podem assistir ao jogo pela TV.

É importante ressaltar que haverá um forte esquema de segurança nos arredores da Arena, o qual irá banir os chamados “cambistas”, que tentarem superfaturar ingressos para a partida. Para isso haverá agentes à paisana da Polícia Civil infiltrados entre os torcedores para efetuar prisões em flagrante de pessoas que fizerem a venda irregular de ingressos.
O presidente do Nacional, Mário Cortez, pede a compreensão dos torcedores que assistirão à partida, pois se trata do primeiro jogo-teste da Arena da Amazônia e será necessária muita cautela ao adentrar no local. Ele também ressalta que haverá estudantes voluntários da Universidade do Estado do Amazonas - UEA para orientar todos que comparecerem ao estádio.

fonte: nacionalfc.com.br
Emoção até os 49 minutos do segundo tempo. Assim o Remo conquistou, neste domingo, dia 23, o título do primeiro turno do Campeonato Paraense 2014 ao empatar, novamente, com o Paysandu – o primeiro confronto terminou 0 a 0. O placar de 1 a 1 foi o suficiente para o Leão, que conquistou a vantagem de jogar por dois resultados iguais ainda na fase semifinal. Val Barreto abriu o placar nos 45 minutos iniciais e Zé Antônio deixou tudo igual no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão.

O resultado deixou o Remo bem próximo de uma vaga na Série D do Brasileiro e garantido na Copa do Brasil de 2015.O time ainda tem o Nacional-AM pela frente pela Copa Verde. Um novo Re Pa pode ser disputado na semifinal da competição, caso as duas equipes consigam passar de fase. Ao Papão, resta pensar no segundo turno para ainda sonhar com o caneco estadual da temporada.
Paysandu melhor, mas Remo mais eficiente
O jogo começou truncado, com o Remo adiantando a marcação e dificultando a saída de bola do Paysandu. Mesmo assim, o Papão conseguiu penetrar com perigo na defesa adversária, principalmente explorando as laterais. Djalma e Bruninho, que jogavam improvisados, caiam bastante até a linha de fundo e, quando tinham oportunidade, seguiam em direção à pequena área do Leão, mas faltava objetividade.

Pelo outro lado, o Remo parecia esperar o melhor momento para atacar e deixava o tempo passar, já que tinha a vantagem do empate. A equipe apostava nos contra-ataques e tinham poder ofensivo reduzido. Trocava passes quando tinha a posse de bola, mas pouco oportunizou os atacantes Val Barreto e Ratinho. Apenas um lance tirou o “uh” da torcida nas arquibancadas. Foi depois que Charles tirou uma enfiada e deixou o jogador do Remo no chão.
O gol saiu justamente em uma jogada de velocidade. Ratinho recebe o cruzamento em profundidade, avança em direção a área do Paysandu, erra o passe, o zagueiro bicolor toca erradamente e Val Barreto ficou sozinho para empurrar para o fundo das redes: 1 a 0. O Papão ainda tentou responder, mas parecia ter sentido o gol. Mazola Júnior também reclamou bastante da falha de sua defesa, mas era tarde.

Mesmo levando o empate, Leão se aproveita da vantagem

O técnico bicolor voltou para o segundo tempo com duas mudanças. Ele colocou o garoto Rodrigo Moraes na vaga de Vanderson e Dênnis no lugar de Lineker. Com isso, o treinador deslocou Bruninho para o meio e Pikachu para a lateral, passando Djalma para ajudar na criação. As alterações surtiram efeito positivo e o empate quase saiu no começo da etapa complementar. A bola ficou solta na pequena área azulina e a defesa azulina salvou em dois lances consecutivos.


Já o Remo permaneceu com a mesma tática de aproveitar os contra-ataques em velocidade. Zé Soares, que havia entrado no lugar de Ratinho, teve a chance de ampliar, mas o toque saiu errado, a direita do gol da Matheus. Ao Paysandu, restava atacar. Se com a bola nos pés, o time não resolvia, o jeito foi tentar em lances aéreos. Em uma cobrança de escanteio, Zé Antônio desviou no primeiro pau e deixou tudo igual.
No começo da reta final, o Paysandu foi para o tudo ou nada. Lima ainda reclamou bastante de um pênalti não marcado pelo árbitro Wilson Luiz Seneme. A pressão continuou, mas ficou nisso.

fonte: globoesporte.com
Remo 4x1 Cametá (Athos)
Emoção foi o que não faltou no duelo entre Remo e Paragominas, que definiu a classificação do Leão para as quartas de final da Copa Verde nesta quinta-feira, dia 20/02, no Mangueirão. A vitória de 4 a 2 foi sofrida e só aconteceu no final do segundo tempo. Até os 31 minutos da etapa complementar, era a equipe do interior quem vencia o jogo, mas o técnico azulino colocou Athos e Leandro Cearense, autores do empate e da virada, respectivamente. Potiguar ainda fez o quarto. Agora, na próxima fase, o Leão enfrenta o Nacional (AM), inicialmente marcado para o próximo dia 26/02, também no Estádio Olímpico do Pará.
Remo e Paragominas iniciaram o primeiro tempo com pinta de jogo movimentado. E foi. Era lá e cá. Enquanto o time da capital investia na técnica de Eduardo Ramos e na velocidade de Thiago Potiguar, o Jacaré apostava no retorno de Fabrício ao setor de meio-campo para deixar Aleílson na cara do gol. Deu resultado. A equipe conseguiu abrir o placar, mas o impedimento acabou assinalado pelo auxiliar corretamente.
Precisando do resultado para se classificar, o Paragominas permaneceu no ataque mesmo jogando com três volantes, com Paulo de Tárcio se movimentado. A partida seguia aberta. A cada investida do Jacaré, o Leão respondia com um contra-ataque perigoso. Ratinho teve condições reais de inaugurar o marcador, mas a noite parecia ser também do goleiro André Luiz, bem posicionado quando acionado.
O confronto pegou ainda mais fogo quando o Paragominas conseguiu abrir o placar com Aleílson, de cabeça, aos 32 minutos. Ainda precisando de mais um gol, o Jacaré não diminuiu o ritmo. Já o técnico Charles Guerreiro parecia estar prevendo. Ele já vinha alertando seus jogadores afirmando que “estavam dando espaço” ao adversário. No último minuto, a surpresa. Potiguar faz bela jogada e cruza na medida para Val Barreto: 1 a 1.
O ritmo para o segundo tempo voltou quente. O Paragominas estava todo no ataque até perder George, expulso, depois de falta dura em Eduardo Ramos. Foi quando o Remo equilibrou a partida e chegou a pressionar em dois bons lances com Val Barreto. Mérito novamente para o goleiro André Luis, autor de belas defesas. Depois disso, o Jacaré fez o segundo gol com Fabrício, também de cabeça, e incendiou o duelo outra vez.
Sentindo o melhor momento do adversário, o técnico Charles Guerreiro colocou em campo o meio-campo Athos no lugar de Ratinho. A ideia era dar sangue novo na criação e surtiu efeito. O Leão respondia bem quando chegava ao ataque. Conseguiu o tão esperado gol justamente com Athos, que aproveitou um escanteio para explodir o Mangueirão e garantir a vaga nas quartas da Copa Verde. Leandro Cearense e Potiguar ainda marcaram no final: 4 a 2.

fonte: GloboEsporte.com



Ontem (19/02), iniciou-se mais uma ação social da TORCIDA ORGANIZADA REMISTA, em parceiria com a Torcida Camisa 33 e com apoio do Hemopa, SEEL, ASSOREMO, T.O.Pavilhão 6 e T.U.Leões da Real.

Com o tema “O maior Re x Pa da história”, os torcedores forão convidados a participar de uma campanha de doação de sangue para regularizar o estoque da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa).

Na ocasião, os integrantes da  Torcida Remista, compareceram em grande número ao Hemopa e mostraram o quão importante é, incentivar este ato de solidariedade.


Esta é a segunda edição da campanha, que no ano passado somou 482 coletas de sangue e beneficiou 1.928 pacientes. Para 2014, a expectativa da organização do evento é conseguir um número muito maior de doadores.

 A campanha segue até o dia 21 de fevereiro, mas o Hemopa recebe doação durante o ano inteiro, faça sua parte doe sangue, doe vida!



 


Doar sangue é simples, não dói e vai ajudar muita gente. ...

LOCAL: HEMOPA - Tv. Padre Eutíquio 2109 - Batista Campos
HORA: 08h às 18h
 






Parabéns Comando Feminino da T.O.R, que com charme e alegria prestigiou e doou sangue nesta segunda edição da campanha de sangue.







Parabéns aos irmãos que participaram da campanha de doação de sangue, mostrando que a solidariedade e e cooperação são valores e ideologias da torcida.

por que Motivo de Amor e Paixão pelo Clube do Remo são eternos!

 


 A Torcida Remista - Comando Manaus, reuniu-se no último domingo na sua sub-sede, para acompanhar o clássico RExpa via internet. Os componentes da torcida aproveitaram para confraternizar e torcer para o nosso querido Clube do Remo, infelizmente o jogo ficou no empate, mas o Leão continua com a vantagem no próximo jogo.

Parabéns aos coordenadores Marcio Pest e Júnior Nick, pelo trabalho desenvolvido em prol de nossa torcida, divulgando e representando a Torcida Organizada Remista em todo o Amazonas.

Links: Blog TOR Manaus, Fanpage facebook TOR Manaus

Publicidade!

Descubra Agora